Tecnologia Inovadora Desenvolvida pelo Engenheiro Professor Dr. João Ivo de Rio Grande Soluciona Problema de Limpeza de Águas

ox

18

04

Tecnologia Inovadora Desenvolvida pelo Engenheiro Professor Dr. João Ivo de Rio Grande Soluciona Problema de Limpeza de Águas

Tecnologia desenvolvida pelo Engenheiro Professor PhD Dr João Ivo.da cidade de Rio.Grande RS.tecnologia está que produz oxigênio.disolvido nas águas elimina mau cheiro.materias orgânicas.variosminerais. devolvendo a água limpa para os Rio. lagoas. Etc….

A tecnologia que produz oxigênio dissolvido nas águas foi produzida pelo Engenheiro e Professor Dr. João Ivo, proporciona efeitos oxidantes similares aos conhecidos em Processos Oxidativos Avançados. Esta nova tecnologia, sendo 100% brasileira e já patenteada (INPI (P.I. 0700134-7),  permite o desenvolvimento de tratamentos eficientes e de baixo custo para diversos tipos de efluentes.

A comercialização do produto é realizada pela empresa Flumixim Ind. Equipamentos para Saneamento Ltda, sediada na cidade de Rio Grande – RS.  A Tecnologia, que se baseia na produção de oxigênio dissolvido (OD) e micro bolhas,  é realizada através de um novo equipamento chamado AEROVOR.

O equipamento é uma aplicação tecnológica  como um “misturador de fluidos”, de forma intensiva e molecular, utilizando a energia do fluido principal que escoa adequadamente pelo próprio equipamento.

As principais característica do AEROVOR, observadas durante os últimos dez anos  foram:

– NÃO GERA LODO/ELIMINAÇÃO DE ODORES/BAIXO CONSUMO DE ENERGIA-

Foi possível ainda constatar que:

  1. Oxigenação intensiva:     com capacidade de transferência ao nível de saturação do efluente; proporciona uma extraordinária redução de coliformes fecais e outras bactérias anaeróbias; provoca a oxirredução de elementos minerais do tipo ferro, manganês, cálcio, magnésio e outros, resultando a precipitação de pequenas partículas com decantação sequencial melhorando a turbidez do efluente tratado; pode ser realizada com igual eficiência em tanques com alto nível de salinidade (tanques marinhos); Controle na formação de bactérias “NOCARDIA” em bacias e lagoas facultativas, mantendo massa estável, organizada, com flocos consistentes e límpidos .
  2. Flotação física aerada intensiva com micro bolhas;
  3. Mineralização do lodo orgânico (*), reduzindo ocorrência de sedimentos orgânicos (processo opcional controlado);  Apresenta grande capacidade de mineralização dos lodos pela oxidação da matéria orgânica (cor cinza estabilizada e uniforme), com estrutura desenvolvida dos organismos indicadores, apresentando excelente capacidade na captura dos alimentos, similar apenas com instalações de sopradores com membranas por ar difuso em alta pressão (8 a  10 kg/m²).
  4. Promover a recirculação da massa líquida do efluente no mesmo ambiente (tanque) ou realizar transferências de massa entre ambientes distintos (entre tanques)  e opcionalmente a movimentação do sedimento de fundo de forma homogênea e sujeita a intensa oxigenação;
  5. Equipamento compacto,  sem peças móveis, operando externamente (no ar fora do meio líquido) proporcionando alta durabilidade , baixa manutenção quando bem instalado e operado; opera com fluxo do efluente em tratamento, oriundo de uma bomba (convencional ou submersa) cuja energia envolvida é igual ou inferior a 3CV (variando por equipamento), propiciando em notável redução de energia em relação aos equipamentos de aeração convencional.
  6. O maior modelo (3”) em aço inox, pesa cerca de 10kg com dimensões relativamente reduzidas (diâmetro 27cm, altura 48cm), viabilizando instalações com estruturas simples e econômicas, operando sem nenhum requisito de intervenção;
  7. Opera regularmente, dispensando a adição de  produto químico;
  8. O Aerovor Embarcado em um pequeno Catamarã com bomba submersa acoplada, contando com uma estrutura de suspensão em aço inox ou Pultrusão, permite operação em posição estática ou com deslocamentos orbitais ou retilíneos alternados ampliando a área de atuação principalmente para tanques de reduzidas profundidades;
  9. É notoriamente silencioso, não provoca sprays/jatos perigosos para a saúde do operador da ETE, bloqueando com notória eficiência a geração de gases com maus odores.

(*) Ensaios realizados pela SABESP em Taubaté na ETE Marlene Miranda, comparando a Tecnologia AEROVOR com sistemas convencionais de aeração, foi comprovada uma redução de 95% na geração de lodo da ETE e uma redução de 75% no consumo de energia.

 

Mais informações podem ser encontradas em http://www.aerovor.com.br/