Zona de Proteção Marinha – ZPM

1 - APRESENTAÇÃO
O litoral do Rio Grande do Sul, em quase toda sua extensão, desde a barra do Chuí até as proximidades de Torres, já quase na divisa de Santa Catarina, numa faixa compreendida entre a linha da maré e a isobota de 20 metros, caracteriza-se por apresentar fundo arenoso com pequena declividade e desenvolver-se em linha reta, sem enseadas ou enclaves na costa. Nesta faixa costeira, de baixa profundidade, encontram-se as zonas de reprodução e criação dos cardumes de interesse da pesca, capturados, industrializados e comercializados pelo setor pesqueiro, que torna o estado o maior produtor nacional de pescado de origem oceânica. Pelas singularidades de nossa região costeira, a denominada pesca industrial, exercida principalmente por embarcações de outros estados, têm sistematicamente desrespeitado a legislação vigente e praticado a pesca predatória, no seu sentido mais amplo. Os efeitos diretos desta atividade predatória estão sendo sentidos pelas indústrias pesqueiras, que em sua maioria já paralisaram as atividades por falta de matéria prima, pela frota industrial e pelos pescadores artesanais, talvez os mais afetados pela falta de outras opções de trabalho e renda.

A pesca indiscriminada junto as zonas de procriação e crescimento tem afetado a capacidade de recuperação dos estoques de pescados, e, por consequência a pesca está seriamente afetada. Por maiores. que sejam os esforços de fiscalização, pelas dimensões da costa e pelas dificuldades de exercer uma efetiva presença em todo o litoral, a pesca predatória continua e não dá mostras de diminuição. . Com este projeto pretende-se criar urna espécie de BANCO GENÉTICO natural, com condições especiais, para garantir a reposição dos estoques e manter o nível econômico da atividade pesqueira, visando criar "zonas ou áreas de proteção", que denominamos ZONAS DE PROTEÇÃO MARINHA, consiste em criar obstáculos artificiais em áreas predeterminadas da zona litorânea, com a finalidade de impedir de modo definitivo a prática de pesca predatória nestas áreas e ao mesmo tempo criar condições favoráveis para a recuperação dos cardumes.

Existem inúmeros relatos dos efeitos desastrosos da pesca predatória, que se refletem na própria atividade e na comunidade pesqueira de um modo geral, porém até o momento nenhuma ação foi proposta no sentido de instituir áreas com proteção física, destinada a proteger ao menos em parte os cardumes afetados. A proposta do presente. projeto é propiciar o fechamento de áreas costeiras delimitadas, aqui denominadas ZONAS DE PROTEÇÃO MARINHA - ZPM, de modo a impedir a pesca comercial nestes locais, utilizando para tais estruturas artificiais que impeçam má operação de pesca.

Abaixo segue o documento completo original do projeto e o folder de divulgação.

 

Não consegue encontrar resposta? Pergunte-nos.

Seu nome (obrigatório)
Seu e-mail (obrigatório)
Sujeito (obrigatório)
Sua mensagem (obrigatório)

Nossos Projetos Recentes

ENERGIA EÓLICA

MEIO AMBIENTE , ENERGIA RENOVÁVEL

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisici elit, sed eiusmod tempor incidunt ut labore et dolore magna aliqua ....

SANTUÁRIO DO ELEFANTE

AFRICANO , ANIMAIS

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisici elit, sed eiusmod tempor incidunt ut labore et dolore magna aliqua ....

VOLUNTÁRIO DE CONSERVAÇÃO

LIMPEZA , VOLUNTÁRIO

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisici elit, sed eiusmod tempor incidunt ut labore et dolore magna aliqua ....

ENGERY CONSERVATION

ANIMAIS , VOLUNTÁRIO

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisici elit, sed eiusmod tempor incidunt ut labore et dolore magna aliqua ....

icon-4

100.000

icon-6

+ 1.500.000

A única maneira de fazer isso acontecer é agir!

Junte-se a nós.

DOE AGORA AJA AGORA